close x

Menisco

Os meniscos são essenciais para a biomecânica normal da articulação do joelho, agindo como lubrificadores, estabilizadores, amortecedores e distribuidores de carga dentro da articulação.

menisco_1
Eles são cunhas semilunares móveis de fibrocartilagem, convexo na superfície femoral e plana no platô tibial. Isso favorece à característica de adaptação óssea do menisco.menisco_2

Seu poder de absorção de impacto se deve à sua elasticidade, proveniente da quantidade de água que possui, e à disposição das fibras em sua estrutura, que transmitem o impacto para a periferia do menisco pelas fibras radiais (centrais) e o dissipam através das fibras circunferenciais. É o amortecedor dos joelhos.

menisco_3
Os meniscos medial e lateral tem diferenças anatômicas e funcionais.

- Menisco MEDIAL:
*Formato de C
*Apresenta ligação importante à cápsula articular (ligamento coronal)
*Muito pouco móvel, se deslocando apenas cerca de 2-5mm para dentro da articulação, sendo, por isso, mais propenso a lesões
*Importância maior na estabilidade do joelho, sendo muito exigido em pacientes com lesão do LCA.

- Menisco LATERAL:menisco_4
* Formato de O
* Apresenta ligações mais frouxas à cápsula articular, com gap do tendão do poplíteo, sendo, portanto, mais móvel
* Importância na estabilidade, nos movimentos rotacionais e na translação femoro-tibial.

A vascularização dos meniscos é muito pobre. O menisco medial possui vasos sanguíneos em 10% a 30% da extensão de sua superfície, e o menisco lateral entre 10% a 25%.
Segundo a vascularização, podemos dividir os meniscos em 3 zonas distintas: a vermelha-vermelha (VV), a vermelha-branca (VB) e a branca-branca (BB), de acordo com a presença de vascularização local, senda a VV a mais irrigada e a BB menos. Sendo assim, é importante ressaltar que pela baixa vascularização, o poder de cicatrização do menisco torna-se pequeno (principalmente nas zonas VB e BB), fato este que deve ser levado em consideração diante de uma lesão meniscal.

 

Lesões Meniscais

menisco_5Lesões meniscais são muito comuns e podem ser traumáticas agudas, como, por exemplo, durante uma prática desportiva, ou degenerativas.
Lesões traumáticas ocorrem classicamente durante a forças de torção no joelho em pessoas ativas jovens.
Lesões degenerativas ocorrem como parte do desgaste progressivo em todo o conjunto, mais frequentemente em pacientes acima de 40 anos. Estas lesões são de clivagem, geralmente horizontais com mínima capacidade de cura.
Quanto ao tipo de lesão, podem ser verticais, longitudinais (incluindo “alça de balde”, onde o fragmento rasgado pode bloquear a extensão total da articulação do joelho), oblíqua ou “flap” lesoes radiais ou horizontais.
A maioria é composta de lesão vertical ou oblíquo (80%). O menisco medial é mais comumente afetado – 75% contra 25% no menisco lateral, 5% dos pacientes terão lesões bilaterais.

Tratamento

O tratamento de uma lesão meniscal dependera de sua localização, tamanho, tempo de ocorrência, idade e ligação do paciente aos esportes.
O tratamento poderá ser não-cirúrgico (indicado a pacientes idosos), e cirúrgico pela meniscectomia (retirada de parte do menisco) parcial, total ou sutura de menisco. Historicamente, meniscectomias totais (remoção da maior parte do menisco) foram realizadas, mas hoje sabe-se que isso leva ao surgimento de doença articular degenerativa progressiva e, portanto, apenas o mínimo de menisco agora é ressecado (meniscectomia parcial) para deixar uma borda estável. Isso normalmente é realizado por via artroscópica sob anestesia e, muitas vezes, permitindo que o paciente receba alta no mesmo dia.